Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Breve nota histórica sobre : 

 

D. João I e D.Nuno Álvares Pereira - Movimentações militares na Beira Baixa entre 1385 e 1400 no contexto da Guerra com Castela - Campanha da Primavera de 1386 rumo a Penamacor

 

 

Como resultado crise dinástica de 1383 e da subida de D. João I ao trono , Portugal entra em guerra com Castela .

Na sequência das conhecidas batalhas de Atoleiros, Aljubarrota e de Valverde ocorreram na Beira Baixa um conjunto de várias ações militares não muito divulgadas principalmente em Penamacor.

 

-Campanha da Primavera de 1386 rumo a Penamacor

 

Em 1386 D. João I  e D. Nuno Álvares Pereira, vindos de Trás-os-Montes atravessam o Douro  e conseguem recuperar Almeida até então nas mãos dos partidário de D.João I de Castela em seguida as forças portuguesas divididas em duas colunas entram em Castela em direção a Coria.

A coluna de D.Nuno Álvares Pereira avança, saqueando no caminho as povoações de Fiolhosa e S.Félix dos Galegos e Fuenteguinaldo.

A coluna de D.João I segue em direção a Coria via Ciudad Rodrigo e Serra da Gata. A progressão é bastante dificuldada devido a fortes chuvadas,  esta  provocou ainda a destruição de uma parte importante dos mantimentos.

Entretanto após 15 dias de cerco Coria, resiste e as forças portuguesas abandonam a ação militar em curso.

O falhanço do cerco terá sido devida a doença que afectou os sitiadores ou pelo facto da localidade ter conseguido receber reforços.

 

 

 

 

A retirada de Castela é feita pela Beira Baixa em direção a Penamacor onde conseguem chegar no inicio de Julho do citado ano de 1386.

Nesta vila as duas colunas militares que entretanto se tinham agrupado no regresso a Portugal são desmobilizadas voltando os seus elementos às suas localidades de origem.

 

 

 

 

Estam documentadas, como tendo participado nesta campanha milícias concelhias de Lisboa, Santarém e Coimbra bem como um contingente da Ordem de Cristo para além da forças de D. Nuno Álvares Pereira originárias de todo o Alentejo, formavam um total de 4.500 lanças de cavalaria mais um número não identificado de peões.

Como curiosidade ... terá sido um dos momentos mais movimentados e intensos que a Vila de Penamacor terá vivido até então.

Por certo terá sido imponente a presença de 4.500 cavaleiros medievais bem armados e acompanhados por muitos peões a atravessarem as terras e as localidades desta parte da Beira Baixa.

 

Por : Joaquim Guerra de Sousa

 

Fontes bibliográficas : 

" Guerreiros Medievais Portugueses " de Miguel Gomes Martins

" Crónica de el-rei D.João I " Fernão Lopes

" Historia de los reyes de Castilla"  Pedro López de Ayala

Imagens de :

www.beira-baixa-antigas-imagens.blogspot.pt

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

1


2


VEJA IMAGENS ANTIGAS DA BEIRA BAIXA

VEJA AQUI A BEIRA BAIXA DE OUTROS TEMPOS

3


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D


Links

BEIRA BAIXA EM ANTIGAS IMAGENS